REGIMENTO INTERNO - ASE KYEOWJI

REGIMENTO INTERNO - ASE KYEOWJI
 REGIMENTO INTERNO  ÀSÈ KYEOWJI - 2013

 

Meus agradecimentos:

 

A uma pessoa que me gerou e me ensinou o lado bom da vida e a ser o ser humano que sou hoje, amado e respeitado pôr todos que me conhece. E louvador dos valores e aos Òrìsàs em toda a sua plenitude. Agradeço pôr tudo a minha querida e saudosa amada mãe: Natalia Maria da Silva- (1927/1979)

Ao meu melhor amigo, companheiro e fiel escudeiro de todos os dias e de todos os momentos, que soube me compreender nos piores momentos da minha vida. Sem a sua ajuda e compreensão jamais chegaria até onde cheguei hoje obrigado por tudo. Ronaldo Monti (1968)

Você um dia vai compreender como és importante em nossa vida, e também no Àsè Kyeowji. A sua vinda a esse mundo mudou os comportamentos das pessoas que em sua volta te admiram. Sabe menina, você é tão importante que não mais conseguimos ficar longe de você. Eu em todos esses anos de minha vida, recuperei meus valores minha alta estima com ser humano, Pai e Avó dessa perola que já não sabemos viver sem ti: Yasmim Sóler Araújo (2004).       

A esta pessoa pura, meigo e amigo de todos os momentos, jamais poderia esquecê-lo, mesmo na eternidade o meu Bàbálórísà e amigo, que hoje mora no òrùn junto de Oya: Armando Nogueira (Oya Otology) (1947/1993)

E a minha família de Òrìsà e biológica é o suporte de tudo.

Mesmo cada qual na sua religião: irmãos biológicos à Maria José (1948), Avacy Gomes (1954), Paulo Gomes (1956), Dulce Maria (1958) e sobrinhos.   

 

 

Felizes são aqueles com sua crença, respeito à fé alheia, 

mesmo com filosofia e Deuses diferentes.

 

 

 

ESTE REGIMENTO SÓ TEM VALIDADE NAS

CASAS DE CANDOMBLÉ

PERTECENTES E LEVAM O NOME DO “ÀSÈ KYEOWJÌ

 

CAPITULO – I

DEVERES INTERNOS

conforme disposto no Capítulo Sétimo do Artigo 21º/22º e único de nosso Estatuto.

ARTIGO

1º. - Ao chegar à Casa de Candomblé descansar pôr 5 a 10 minutos.

A)    Pedir benção primeira aos seus mais velhos; Exp: Bàbálórísà, Kèkérè-Awo, Iyàlásè, Bàbálàsè, Bàbákékérè, Iyàkèkérè, Egbònmes, Ògás, Èkèdjìs e Omo Òrìsà nesta ordem.

B)    – Sempre respeitando a hierarquia cumprimentar primeiro os mais velhos (Avôs), depois os (Pais) os Postos e Cargos, assim sucessivamente.

 

         2º. – Não será permitido, Abiáns e Iyàwós, comer, fumar e beber bebida alcoólica junto do seu Bàbálórìsà ou dos seus “MAIS VELHOS”, mesmo fora da casa de candomblé. Egbònmes, Ògáns, Èkèdjìs, Posto e cargos só com permissão.        

 

        3º. – Não ficar compartilhando de conversas dos SEUS MAIS VELHOS sem permissão, principalmente Iyawos.

 

        4º. – Comparecer na casa de Candomblé, principalmente quando estiver alguém recolhido, compartilhando dos a fazeres diários.

A) – Nos dias de toque chegar (4) duas horas antes de começar.

B) – Se tiver Iyawo, Eborì ou outras Obrigações, ajudar no que for preciso para o bom andamento da casa de candomblé - conforme orientação dos SEUS MAIS VELHOS.

C) – Não será permitido, novos e mais velhos, ao chegar da rua nos dias de função, ficar como visita ou dono(a) da casa, atrapalhando os afazeres da casa.

D) – Não serão permitidas, pessoas que não são adeptos da casa, comparecer no dias de função (Oromawo) sem autorização do Bàbálórìsà.     

 

       5º. – É proibido fazer rodinhas, tumultos ou perguntas aos seus (Òmòrìsà) irmãos de Santo novos ou mais velhos sobre qualquer que seja o assunto a respeito de “Àse”, da nossa ou de outras casas candomblés, qualquer dúvida dirija-se ao seu Bàbálórísà, Iyàlasè, Kèkérè-Awo, Bàbálàsè, Bàbákékérè/Iyàkékérè ou alguém autorizado.

 

      6º. - É expressamente proibida à entrada de Egbònmes, Èkèdjìs, Ògás, Iyawos no quarto de santo (RUNKÓ/SABAJI) sem permissão do Bàbálórísà.

A) – Com exceção da Jibonan, Kèkérè-Awo, Bàbálàsè, Iyàlasè e Bàbákékérè/ Iyàkékérè, os demais são proibidos somente com autorização. 

 

       7º. – Ao chegar à casa de candomblé nos dias de “TOQUES e ORÓMAWÒ” tomarem banho de asseio e depois ervas (Òmí-érò ou Amàcí) conforme Bàbálórísà. Vestir-se de branco ou ração e arrumar alguma atividade p/ fazer sobe a orientação do Bàbákékérè, Iyàkèkérè ou Kèkérè-Awo, Bàbálàsè ou Iyàlasè. Ou pessoa responsável no dia.

 A) - ATT. Nos dias de toques, na abertura do SIRE, pedir bênção, ao seu Bàbálórìsà, Kèkèré-Awo e Iyàlásè. Nas cantigas de Ògún, Òsòósì, Oyà, Òlóògúnèdé, Osala e ao seu Òrìsà. (informe orientação do seu Bàbálórìsà ou pessoas responsáveis)

 

      8º. – Não fazer refeições (AJEUN) na mesa junto com seu Bàbálórísà, Kèkérè-Awo, Bàbákékérè, Bàbálàsè, Iyàlasè e Iyàkèkérè sem permissão, principalmente IYAWOS, ABIANS e a (Èkèdjìs e Ògás suspenso), mesmo fora da casa de candomblé.

A) – Com exceção: Egbònmes, Èkèdjìs e Ògás (confirmados ou iniciados). Posto e Cargos.

 

10º. - Não serão permitidos nos dias de Cultos, Toques e Orómawò no "Àsé Kyeowjì";

A) – Mulheres e (Filhas de Santo) de saia justa, mini-saia e curta, roupa decotada e calça cumprida e agarradas no corpo e de cores fortes.

B) – Homens e (filhos de Santo) de shorts sungas e camiseta regata, sem camisa, bermuda e com roupas de cores fortes

 

11º. – Guardar todas as Sextas Feiras, mesmo fora das OBRIGAÇÕES.

A) - Não comer carne vermelha;

B) - Estar de roupas brancas;

C) - Não usar perfumes e desodorante (que contenham álcool).

D) - Não ingerir bebidas alcoólicas.

E) - Não tomar café;

F) - Não falar palavras obscenas e palavrões.

 

         12º. - Quando comparecer na casa de Candomblé as SEXTAS FEIRAS deverá estar de roupas brancas mesmo fora de obrigações (ABIAN, EGBONMES, ÒGÁNS, ÈKÈDJÌS e IYAWOS, POSTO E CARGO) não existe exceção.

 

        13º. – Os adeptos antes de fazerem parte ou darem obrigação no "Àsè Kyeowjì", que tiverem tatuagens ou serem dependente químico como: maconha, cocaína, craque, alcoólatra, dividas com a justiça, HIV, doenças contagiosas e outras etc. Deverão antes comunicar ao Bàbálórísà da Entidade.  

A) – Os que já têm tatuagens, não poderão mais consertar-las, ou fazer aplicações ou confeccionar outra, sem antes comunicar o Bàbálórísà. A tatuagem não é concebível no "Àsè Kyeowjì". O corpo pertence ao Òrìsà só eles poderão marcá-lo com as curas (òbèrès) e preceitos, como forma de fidelidade aos seus mandamentos.

 

         14º. - Será expressamente proibido qualquer descriminação e preconceitos de CÔR, RAÇA, NACIONALIDADE, VIDA SOCIAL E SEXUAL, dentro do Àsè Kyeowjì. Será penalizado ou até expulso da casa de candomblé.    

 

CAPITULO – II .                                                                                                                                                     

DEVERES SOMENTE PARA IYAWOS Ou quem não tiver Oiye, Sete e Deka)

 

ARTIGO

           15º. - É expressamente proibido comparecer na Casa de Candomblé de roupas pretas, vermelhas, roxas, marrom, ou roupas completamente inadequadas ao regulamento da casa mesmo fora de dias de toques.

 

           16º. - Nos dias de toques não atravessar o barracão de cabeça erguida, e principalmente na frente do Òrìsà e de seus mais velhos etc...

A) – E enquanto não tomar os seus sete anos, não conversar com seu Bàbálórísà, Kèkérè-Awo, Bàbálàsè, Bàbákékérè, Iyàlasè e Iyàkèkérè ou seu mais velho. Exp: (ÒGÁS, EKEDJIS, EGBOMES, CARGO E POSTO) em pé ou de cabeça erguida.

 

           17º. – Nos dias de toques

1º) - Entre uma cantiga e outra, quando houver pausa, deverá agachar-se, e responder as cantigas para maior energia aos Òrìsà. (Iyawos)

2º) – Iyàwós e abian deverá agachar-se, quando dirigir a palavra com o seus mais velhos ou seja (Bàbálórìsà, Mãe ou Pai Pequena, Kékérè-awo, Bàbálásè e Iyàlásè).

 

        18º. - Os IYAWOS e DEPTOS que estão participando do Sire, só poderão sair do barracão com permissão da IBA IYA-ILÈ, Bábàkèkérè, Iyàkèkérè ou outra pessoa autorizada no dia.

           

19º. - Nos dias de TOQUES trazerem suas roupas;

A) – Iyàwò feminino: suas anáguas (limpas e brancas), ojás, camizú, pano da costa e carsolões. (proibido armação de tela). Conforme Bàbálòrìsà.

B) – Iyáwò masculino: sua calça (branca e limpa), camizu ou camisetas, ojás e pano da costa. Conforme Bàbálòrìsà.

C) – Todos os Iyawos deverão trazer seus fios (DELOGUNS e MOCANS) quando estiver de kele, e um saco de pano (BIZACO), com seu nome gravado, e todos os seus pertences, (prato) vapokó, (caneca) omiguegue etc:...

 

CAPITULO –  III

SOMENTE QUANDO ESTIVER DE KELÈ

 

ARTIGO

20º. - Não ficar de Orì (cabeça) descoberto e de cabeça erguida

 

21º. - Não ingerir bebidas alcoólicas (conforme Artigo 2º.)

 

22º. - Não usar relógio no pulso ou qualquer tipo jóia, enfeites e bijuterias.

 

         23º. - Quando estiver de resguardo mesmo em casa, ficar totalmente de branco.

A) – Não namorar, beijar, pegar na mão, fazer sexo, pentear cabelo, usar química no corpo, (perfume, sabonete, desodorante, gel, xampu e banho quente). etc..

24º. - Guardar as SEXTAS FEIRAS (conforme Artigo 7º. e 11º. RIAK)

B) – Todas as sextas feiras pedir a benção ao Òrìsà e o seu Bàbálórísà, na casa de candomblé. (Quando possível) ou onde seu Bàbálòrìsà estiver.

 

25º. - Fica também proibido.

A – Passar pôr baixo de escada e arame farpado.

B – Ficar sobre marquises etc:...

C – Tomar sereno, Chuva, Sol.

D – Ficar debaixo de guarda sol, ou guarda chuva.

E – E Objeto de metais, Cobre bronze, etc:...

 

26º. - Não deixar o tempo passar por sua cabeça;

A) – 06h:00 de manhã

B) – 12h:00 à tarde

C) – 18h:00 à noite

D) – 24h:00 da madrugada

 

27º. – Como fazer NSUN (dormir)

A) – Somente em uma ENI (esteira) e nunca no escuro. 

B) – Sempre deixar uma INÀ (vela) acessa próximo da ENÌ.

 

28º. - Não ficar após as 12h:00 da tarde fazendo Nsun (mesmo sem kélè).

A) - Não dormir mais do que oito horas pôr dia (mesmo sem Kélè)

B) - Levantar de manhã e despachar a rua

C) - Fazer os Dorosan (rezar) nos dia de seu Òrìsà.

D) - Tomar banho de asseio e ervas ao levantar, de manhã e à tarde, todos os dias.

        

     29º. – Não dormir junto de outras pessoas: Como marido, namorado, ficante, familiares e amigos mesmo sendo do Òrìsà.

 

30º. – Expressamente proibido!                                                                               

A) – Festas de casamentos   

B) – Festas Aniversárias

C) – Aglomeração de pessoas (reuniões)

D) – Condução cheia, Ônibus e Metro.

E) – Tomar banho de piscina, rio, mar, lagoa e cachoeira.

F) – Ir a igrejas (consulte seu Bàbálórísà)

G) – Pic-Nic ou convescote;

H) – Ir às matas (consulte seu Bàbálórísà)

 

31º. - Outros deveres;

A) - Não atravessar no meio da encruzilhada;

B) - Não ir a cemitério, velório e hospital. (conforme Bàbálòrìsà)

C) - Não tomar banho com água quente (só água natural ou do sol).

D) - Durante um ano, até quando não der obrigação de ano, não pular carnaval.

E) - Não tomar banho de mangueira (borracha) e de chuveiro de metal.

F) - Não deixar roupas brancas no varal à noite e no sereno (principalmente de Iyawo).

 

         32º. - Sempre tomar banho de AMACÍ com orientação de seu Bàbálórísà/Aworo.

 

33º. - Quando for visitar outras casas de Candomblé; (Iyàwò):

A) – Deverá estar sempre acompanhado de um irmão mais velho;

      Exp: Kèkérè-Awo, Bàbálàsè, Bàbákékérè, Iyàlasè e Iyàkèkérè ou Jìbònán.

C)    – Ir a outra casa de candomblé, somente com autorização do seu Bàbálórísà. Conforme Artigo 19º (a,b e c. RIAK).

 

34º. – Proibido Iyàwòs pegar em Adjàs/Ajàrín, Gán, Sèré, Arós e tocar Atabaques.

 

         35º. - Não tomar, café, leite, refrigerante, chupar limão, abacaxi, mexerica, comer jaca, sardinhas e todos os tipos de enlatados, conservas, pizza, lingüiça, carne de porco, salada temperada com vinagre ou limão, sentar à mesa, ir à restaurante, etc. (conforme Bàbálórísà).

 

         36º. - Quando fizer AJEUN deverá agradecer o Òrísà, fazendo seu Dorosan.

 

         37º. - Ao fazer ajéùn, pedir benção ao Bàbálórísà, Kèkérè-Awo, Iyàlasè, Bàbálàsè, Bàbákékérè e Iyàkèkérè. Quando fizer Dorosan, mesmo sem a presença do mesmo.

 

         38º. - Fazer ajéùn com seu Vapokó (prato), acompanhado de seu Omi-Güegüe (caneca), e comer com as mãos. (quando estiver de kélè).

A) - Mesmo Ògás, Èkèdjìs, Egbomes, Posto e Cargos, etc:...

B) – Ao fazer ajéùn não usar chapéu, boné, bombeta e òja.

 

39º. - Não usar nada no Orì (cabeça) conforme artigo 23º (RIAK):

A) – Tesoura, Navalha, Pente, Creme, Tinta, Shampoo, perfume, desodorante etc:.

 

40º. - Não comer raspa de panela (mesmo sem kélè)

 

         41º. - Não pegar em dinheiro, moedas, (valores correntes) conforme Bàbálórísà.

    

42º. - Não sentar em lugar alto e estofado.

A – Não sentar mais alto do que seus mais velhos (mesmo sem Kèlé) Iyàwò.

B – Não conversar com seus mais velhos de pé e cabeça erguida mesmo sem kélè Iyàwò.  

 

         43º. – Só poderá fazer Nsun, em lugar que tenha pessoas que conheça sua religião.

A) – Respeitar a religião dos outros, para que a sua seja respeitada.

 

CAPITULO – IV

OUTROS DEVERES E OBRIGAÇÕES NO ÀSÈ KYEOWJI

 

ARTIGO

         44º. - ÒGÁNS em nossa casa (Àsè Kyeowjì), confirmados ou suspenso.

A)    - Não pega em Adjàs/Ajàrín e não roda Sere, não dança em ronda de Sire ou rhun de Òrìsà. (em caso de Sere somente alagbe  autorizado os demais são proibidos).

B)    – Não virar Iyàwós, Egbònmes, ou seus mais velhos (sem autorização de seu Bàbálòrìsà).        

 

         45º. - É proibido (IRMÃO, SOBRINHOS, NETOS DE SANTO ETC.) jogarem Búzios com pessoas do "Àsè Kyeowjì", sem autorização do Bàbálórísà. (Iniciados)

                                                                                 

         46º. - Mesmo filhos de Santo que tenham mais sete anos (não tomados), deverão ficar agachados nos dia de toque, no intervalo de uma cantiga a outra. (conforme Bàbálòrìsà)

 

         47º. - É Expressamente proibido filhos de Santo do “Àsè Kyeowjì", dar adubàlé aos Bàbálórísà, Iyàlórísà, Ògás, Ekedjis, Posto e Cargos, de outra casa sem autorização.

 

         48º. - Todos os integrantes do Àsè Kyeowji, mesmo Abian, deverão fazer parte do "CPAAK" - Contribuição Participativa dos Adeptos do "Àsè Kyeowjì", para o bom andamento da casa de Candomblé. (conforme ARTIGO -62º RIAK).

 

        49º. – A falta com devido respeito as pessoas de Posto, Cargos, Títulos do Àsè Kyeowjì - Ilè Òrìsà Òsòtócánsósó ou outras pessoas. O Adepto infracionario ficará a disposição do "C.D.A.K." - CONSELHO DELIBERATIVO ÀSÈ KYEOWJÌ. Não podendo participar das atividades da casa até a segunda ordem dos conselheiros dos  “C.D.A.K.”  

 

        50º. - Sempre quando for à casa de Candomblé, levar utensílios que mais usam na casa (exp: Vela, pinga, dendê, mel, pó de café, cesta básica, produto de limpeza, higiene pessoal, descartável etc. Para o próprio uso dos filhos do santo e freqüentadores.

 

        51º. - Os filhos de Santos, que não comparecerem nos toques oficiais dos Àsè Kyeowjì ou em convocação para reunião extraordinária ou comunicado, deverá no prazo de 15 (quinze) dias enviar uma notificação por escrito ao seu Bàbálórìsà (Pai Waldo), comunicando a sua ausência.

A) – Caso não aconteça à notificação, Pai Waldo deverá suspender o filhos de santo, por um período no mínimo de 3 meses e no máximo 6 meses corridos ou dmitido..

B) – E se for associado do CPAAK – Sua contribuição deverá ser suspensa e perderá todos os benefícios nela contida após a sua volta.

C) – Após o período de suspensão, o Bàbálórìsà (Pai Waldo) convocará a diretoria do "Àsé Kyeowjì" – Àsè Maròketù Òrìsà Òsòtókànsósó, para satisfação ou justificativa, com a presença do adepto..  

       

      52º. – No caso de Exclusão do CPAAK. Ou de outro órgão organizador, se no período de 60 dias o filho de santo (conforme artigo 51º e C) não der nem uma satisfação, ao Bàbálórìsà, Kèkérè-Awo, Bàbálàsè e Iyàlásè da casa. Só poderá voltar com o parecer explicativo. 

A) – Não poderá participar de toques no Àsè Kyeowjì e das coirmãs.

B) – Será proibido circular nas dependências da casa de candomblé sem autorização.

C) – Não poderá vestir Òrìsà e nem tomar rhum seu Òrìsà.

       E) – E poderá ser advertido e até ser Demitido ou eliminado do Àsè Kyeowjì.  

 

      53º. – Todos os filhos de Santo do Àsè Kyeowjì – Àsè Maróketù Àsè Òrìsà Òsótókànsósó, deverão colaborar, no rateio financeiro e braçal mesmo sendo associado do CPAAK, para o bom andamento das Festividades oficiais da “ALDEIA ESTRÊLA MAIOR” - Abassá Cabôclo Indaiassú - MG e “REINO Ty ÒSÒWÙSÌ” – Omo Alákétù Ilè Àsè ty Òlóògúnèdé – RJ.

 

     54º. – As apostilas são deveres de todos os Adeptos ou novos na casa de candomblé do "Àsé Kyeowjì", em adquiri-las conforme orientação do Bàbálórísà.

A) – A primeira via da apostila do O BEABA, REGULAMENTO INTERNO E DOROSAN, são totalmente grátis para novos de obrigação (principalmente iniciados) no Àsè Kyeowji.

B) – Na perca da apostilha de O BEABA, REGULAMENTO INTERNO E DOROSAN do Àsè Kyeowji, a segunda via custará o valor de 20% do salário mínimo vigente no país.

C) – As demais apostilas, pôr exemplo: ACENTAMENTO DE CATIÇO – PASSO A PASSO – JOGO DE BUZIOS – TRIBUTOS AOS ORISAS (Mitologia dos Òrìsàs) – O DUNS E SEUS EBÓS – COMO CONDUZIR UMA CASA DE CANDOMBLÉ – ERVAS DOS ORISÀS (As Essências das Folhas e Ervas Sagrada) – INICIO E FUNDAÇÃO DO ÀSÉ KYEOWJÌ – FILHOS DE SANTO (Definições de Cargos) – BORI e OBI D’AGUA DEVERES E OBRIGAÇÕES – DIALETRO YORUBA - NUMEROLOGIA – RITUAL DE ESÚ – OFERENDA DOS ÓRÍSÁS – ASESE – Ilè-Ibo-Ekú – UNIAFRO FEDERAÇÃO – PRATICAS E DEVERES – A NATUREZA AGRADECE e outras. Será cobrada uma taxa pelos gastos de papel e tinta, no valor de 15% do salário mínimo vigente no país por cada apostila. Como colaboração para casa de candomblé.

§) – PARAGRAFO ÚNICO - Os Associados do "CPAAK". Contribuído mensalmente, receberá gratuitamente sem custo algum, as Apostila do "Àsè Kyeowjì" (conforme Bàbálórísà).

D) – As apostilas é uma exclusividade e direito do "Àsè Kyeowjì", não poderão ser utilizadas futilmente, inadequadamente, comercializada, vendidas e usadas por outros membros e adeptos que não pertençam às casas de candomblés filiadas ou co-irmãs do Àsè Kyeowjì.

E) – Caso qualquer membro ou adepto do "Àsé Kyeowjì" souberem ou verem estas apostilas em lugar ou com pessoas não autorizadas. Deverá recolhê-las e entrega-las para Bàbálórísà, ou para quaisquer membros do conselho do "Àsé Kyeowjì".

 

55º. - Os filhos de santo que forem iniciados ou que derem obrigação no Asé Kyeowji.

A) – Não poderá tirar seus Ibás ou outros pertences roupas, ferramenta etc:... Antes de tomarem obrigação de sete anos na casa.

B) - Principalmente os que tiverem Cargos ou Posto no Asé Kyeowji como: Èkèdjìs, Ògáns etc. (ou cargos de confiança do Bàbálórísà/Aworo), conforme Artigo-54º (A), mesmo com todas as obrigações em dias na casa de Candomblé, (seus ibás ficarão definitivamente aos cuidados da casa de candomblé).

C) – Ògás e Èkèdjìs, mesmo saindo do Asé Kyeowji, não terão direito de retirar seus ibás da Casa de Candomblé.  (conforme Bàbálórísà)

E) - Todos os iniciados no Asé Kyeowji deverão assinar uma declaração, com uma relação dos seus pertences que ficarão na casa de Candomblé. Caso precise não é obrigatório. 

F) – Os adeptos que saírem do Asé ou perderem o seu Cargo/Posto, ou pôr qualquer outro motivo. Poderão adquirir os seus IBÀS, mesmo antes de tomarem os seus sete anos. Só se estiverem quites com a casa de candomblé. (CPAAK).   

 G) – O adepto que tiver Cargo/Posto no Asé Kyeowji, não poderá exercer ou receber Cargo ou Posto em outra casa, e principalmente os que pertencerem ao "Àsé Kyeowjì", sem autorização do seu Bàbálórísà. Caso isso aconteça será intimado a esclarecimento e poderá ser advertido, suspenso ou até eliminado, sem aviso prévio.

 H) – Filho de Santo que tiver Cargo ou Posto "Àsé Kyeowjì" (feito de santo) poderá abrir a sua própria casa de Candomblé, somente com autorização do seu Bàbálórísà/Aworo, aos Ògás e Èkèdjìs este direito é expressamente proibido.

 I) – Não será permitido qualquer que seja o Filho de Santo, DAR CARGO/POSTO, em sua Casa de Candomblé, que pertence ao Àsé Kyeowjì, sem autorização do Bàbálórísà/Aworo.

 J) – Todos os Filhos de Santo iniciados ou que tomarem Asé na casa, será obrigado a filiar-se a "Uniafro" União Nacional Federativa da Cultura Afro-Brasileira e no "CPAAK" – Contribuição Participativa dos Adeptos do Àsè Kyeowjì.

 

             56º. - Os Cargos, Postos e Títulos da Casa de Candomblé são universais, deverão ser respeitados por todos, adeptos filiadas e coirmãs do Àsè Kyeowji.

 

           57º. – O POSTO DE KÈKÉRÈ-AWO, IYÀLÁSÈ, BÀBÁLÁSÈ, IYÀLÒDÉ, BÀBÁKÉKÉRÈ E IYÀKÈKÉRÈ no Àsé Kyeowji, são postos insubstituíveis, intransferíveis e vitalícios, mesmo os que exercem tais cargos não pertencem mais ao Asè. A substituição dos referidos postos acontecerá somente em caso de morte, mudança para outro país definitivamente ou pedir exoneração ou tomar obrigação, cargo ou Posto em outra casa. Obs.: (Postos são atividades de confiança que só ao tomar sete anos será definitivamente oficializado, e só o Òrìsà no Ifá terá o direito de veto).

a)– Fica caracterizado, que todos os ibàs na casa de candomblé, de Iyàwò, Egbònme, Ekèdjì e Ògá durante (36) meses, ou seja, 3 anos, sem a devida assistência de seus respectivos donos, será desmontado sem aviso prévio. Os òtàs, fetiches, ficarão a disposição dos seus eventuais responsáveis.       

 

          58º. – É expressamente, proibido, namoros, paqueras, assedio de qualquer natureza ou qualquer intenção de filhos ou filhas de Santo do Àsè Kyeowji, em qualquer hipótese ou libertinagem, poderá ser expulsa do Àsè Kyeowji, mesmo fora do dias de Cultos, sem aviso prévio (conforme Bàbálórísà/Aworo).

A) – Principalmente Pai ou Mãe Pequena

B) – Ògáns e Ekèdjìs.   

C) – Que tenha cargo/posto

D) – Iyàwòs e Abìáns

E) – Novatos e assistentes

F) – Colaboradores (as)

 

CAPITULO – V

"CPAAK" - Contribuição Participativa dos Adeptos do "Àsè Kyeowjì”

DESCONTOS E FÉRIAS E PASSEIOS

ARTIGO

59º. Só terão algum desconto no chão/mão, somente sócio do “CPAAK". Nas categorias:

    PARÁGRAFO – I.

A) – Ci – Individual  - (Somente para uma pessoa)

B) – Cc – Casal - (Somente para Casal – Masculino e Feminino).

C) – Cf – Família - (Família total de cinco pessoas). 

D) – Ca – Adquirida (Poderá ser conjunta ou individual, não importando o sexo). 

E) – Cq – Qualificada (Poderá ser amigos(as), casal e pessoa do mesmo o sexo).

F) – Cm – Manutenção (somente para Egbònmes individual)

G) – Cj – Cônjuge ( casais) Egbònmes  não importando o sexo.         

PARÁGRAFO – II OS DESCONTOS e BONUS:

A) - Categoria Ci, Cc, Cf, Ca, Cq,Cm e Cj, que tem BONUS ao descontar deverão ser pagos em PONTOS.

      B) - Os BONUS dados pelo Bàbálórísà somente para as categorias Ci, Cc, Cf, Ca, Cq,Cm e Cj.

     C) - As demais categorias, receberão por participação em PONTOS. (conforme Bàbálórísà/Aworo).

PARÁGRAFO – III FORMA DE CALCULOS DOS BONUS E PONTOS:

A) - Os PONTOS * são calculados pelo valor vigente do salário mínimo atual.

       Exp: 415,00x(0,001) = R$ 041 (bônus) à É o valor de (01) PONTO

     B) - “BONUS” são valores calculados pelos "PONTOS” recebidos na casa.

      Exp: Bônus x Pontos = R$ Bônus. (0,41 Bônus  x 23 Pontos recebidos = R$ 9,43 Bônus

     C) - “PONTOS” são atividades adquiridas na casa de candomblé e fornecidas somente por Pai Waldo ty Òsóòsì. 

PARÁGRAFO – IV COMO ADQUIRI-LOS e USA-LAS NA CASA DE CANDOMBLÉ:

  Receberá pela participação em todas as atividades na casa de candomblé e coirmãs do "Àsè Kyeowjì" ou Filiadas a Uniafro com o comando, liderança e a presença do Bàbálòrìsà, Aworò e Olóiyè: Pai Waldo ty Òsóòsì.

   A) – Valor da obrigação (-:-) pôr valor do Bônus é (=) total de “PONTOS”.

Exp: Obrigação 800,00 (-:-)0,41 Bônus (=) valor obrigação que é: 195 “PONTOS” (-) o valor adquiridos (Pontos) é o que será abatido no valor adquirido na casa.      

 

ARTIGO

           60º.Poderá ser associado nas seguintes categorias; (Ci) – Categoria Individual, (Cc) - Categoria Casal, (Cf) – Categoria Familiar, (Cm) – Categoria Manutenção, (Cj) – Categoria Cônjuge, (Cr) – Categoria Remido, (Cp) – Categoria Provisória, (Cq) – Categoria Qualificada, – (Ca) – Categoria Adquirida – (Cv) – Categoria Voluntária.

PARÁGRAFO – I  DEPARTAMENTO QUE ADMINISTRARÁ TODAS AS ARREDAÇÕES.

Poderá ter um departamento que administrará todas as mensalidades ou contribuições e arrecadações dos adeptos e associados; Terá 2 (dois) diretores financeiros e Será administrado pelo TESOUREIRO Àsè Kyeowjì.

PARÁGRAFO – II  AS CATEGORIAS SERÃO:

 A) - Ci- Categoria Individual, somente para uma pessoa, é intransferível que terá um denominador com o nº. (1000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

B) - Cc - Categoria Casal, somente para casal, marido e mulher, convivendo a mais de (2) dois anos juntos, é intransferível, que terá um denominador com o nº. (2000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

C) - Cf - Categoria Familiar, somente para casal, marido, mulher e mais (3) três filhos, é intransferível, que terá um denominador com o nº. (3000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

D) - Cm - Categoria Manutenção, poderá ser a qualquer pessoa, que houver prestado relevantes serviços a Entidade e a comunidade do Àsè Kyeowji e "Uniafro" União Federativa da Cultura Afro-Brasileira. E poderá contribuir com qualquer quantia sem interferência do "CPAAK". Que terá um denominador com o nº. (4000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

E) – Cj - Categoria Cônjuge, é personalidade, políticos ou Bàbálórísà, Iyàlórísàs, Èkèdjìs, Ògás, Egbomes e etc.: que mereçam homenagem. E poderá contribuir com qualquer quantia sem interferência do "CPAAK". Que terá um denominador com o nº. (5000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

F) – Cp – Categoria Provisória. É sócios que não tem condições para pagar alguma contribuição ou mensalidades para o "CPAAK", por um período de um ano. E poderá contribuir com qualquer quantia, quando quiser, sem interferência do "CPAAK". Esta Categoria é isenta de mensalidade, até quando estiver desempregado, ou sem condições financeiras. Após a carência, escolherá uma categoria (CI CC e CF).  E poderá ser renovado conforme pesquisa do "CPAAK". Ou contribuir livremente, após o período. Que terá um denominador com o nº. (6000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

G) – Cr – Categoria Remida. São sócios que contribui na casa de candomblé muito acima do valor estipulado pelo "CPAAK", com quantias individuais. E poderá contribuir com qualquer quantia sem interferência do "CPAAK". Que terá um denominador com o nº. (7000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

I) – Cq – Categoria Qualificada. Só poderá ser socio, amigos (as), casais da mesma sexualidade não importando adepto ou não, desde que tenha um titular. O sócios que contriburá mensalmente e receberão BONUS no Àsè Kyeowj, em dias de Oròmáwò. Conforme regulamento interno. “CPAAK”. Que terá um denominador com o nº. (8000) na matricula do sócio ao iniciar. Como identificador

J) – Ca – Categoria Adquirida. à Poderá ser qualquer pessoa, ou sócios por um período até 12 meses, contribuirá com o mínimo de (3% do valor do salário mínimo vigente no país). Que poderá ser renovado a qualquer tempo, conforme acordo estipulado pelo titular do CPAAK. E terá direito a desconto e BONUS se durante, seis meses contribuir com qualquer quantia. Fora destes casos não têm direito. Que terá um denominador o nº (9000) na matricula do cooperado ao iniciar. Como identificador

K) – Cv – Categoria Voluntária. à São Sócios que contribui voluntariamente sem valores agregados ou assumidos mensalmente e receberão BONUS no Àsè Kyeowjì, em dias de Oròmáwò. Conforme regulamento interno do  “CPAAK”. São pessoas que colaboram em festividades na casa (braçais e financeiros em dias de toques). A sua contribuição é como doação e não como credito em C/A. Que terá um denominador o nº (1010) na matricula do cooperado ao iniciar. Como identificador

 

ARTIGO

          61º. – O associados do CPAAK que quiserem  usar as casas de candomblé, RJ/MG, (passeio ou ferias) fora da programação oficial, pagará uma taxa de 30% (*sm) por cada 8 dias (mínimo) permanência e 12% (*sm), por pessoa não associada acompanhada. O valor deverá pago antecipadamente. Receberá um contrato e uma autorização pelos dias contratado. Proibidos não sócios.

PARAGAFO ÚNICO: – Durante 20 (vigésimo) meses em dias com sua contribuição mensal, semestral ou anual e sem usar o “CPAAK”, em dias com sua CATEGORIAS Ci-Cc-Cf, receberá no 21º ( vigésimo primeira)  mês sua contribuição terá um abono de 100% da sua contribuição seguinte (não podendo ser considerado com credito futuro na C/A conta de associado, do Titular assim sucessivamente.

 

CAPITULO – VI

PROaAAK * Processo de Admissão dos Adeptos do

Àsè Kyeowjì

ARTIGO

             62º. – O “RH” Recursos Humanas do Àsè Kyeowjì é chamado de “PROaAAK”, somente para administrar as documentações e matricula dos seus adeptos, associados e das coirmãs.

PARAGAFO ÚNICO: Para participarem das atividades da Casa de candomblé como membro, sócio ou simpatizante deverá preencher uma ficha de cadastro imposta pela "PROaAAK". E aprovado pelo Bábàlórìsà do Àsè Kyeowjì, ou pela mesa do conselho. (C.D.A.K.)

ARTIGO

             63º. - Após serem cadastrado no “PROaAAK" todos os Omo Òrìsà (filho de santo) ou adepto que queira participar do Àsè Kyeowjì, antes de tomar qualquer obrigação ou participar das atividades da casa, deverão fazer parte do “CPAAK” Contribuição Participativa dos Adeptos do Àsè Kyeowjì.

PARÁGRAFO - IDEMISSÃO, ADMISSÃO e CARGO/POSTO

A) - E só será filho de santo em um período de 30 meses. Se não tomar obrigação na casa, ou iniciar-se. Após esta data será desligado (demitido) automaticamente sem aviso prévio.

B) – Após seu desligamento (demissão), só poderá participar novamente como adepto, se tomar obrigação na casa (iniciação, obrigações) bori e obi não valem.

C) – Omo Òrìsà (filho de santo), depois do desligamento ou demissionário, só poderá, fazer parte da casa somente com autorização da diretoria executiva da entidade pertencente, e ou consentimento do diretor espiritual por escrito, num prazo somente 12 (meses).

D) – Após admissão, como Omo Òrìsà, só fará parte com nada costa no “CPAAK” Contribuição Participativa dos Adeptos do Àsè Kyeowjì, caso contrario não haverá retorno.

E) – O Omo Òrìsà (filho de santo) só poderá tomar CARGO/POSTO na casa de candomblé, cadastrado no PROaAAK,adepto em dias com CPAAK e com obrigação tomada no Àsè Kyeowjì (não podendo BORI e OBI D’AGUA). Fora destes casos serão livres. 

F) – Os novos adeptos (Abián) que durante o periodo de 24(meses), a contar com a data de admissão no PROaAAK e não derem obrigação (iniciarem) no Àsè Kyeowji (Pai Waldo). Será demitido sem aviso previo. 

 

 

CAPITULO – VII

“CÓDIGO PENAL BRASILEIRO”

 

 

ARTIGO

64º. - Legislação e o Candomblé

* Por se tratar de religião e cultura, o Candomblé é duplamente protegido na forma da lei pela Constituição da República Federativa do Brasil. Outrossim, o artigo 208 do Código Penal Brasileiro prevê, para o crime de ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo, pena de detenção de um mês a um ano ou multa.

* Para que todas as pessoas que professam o Candomblé fiquem cientes dos seus direitos é bom observar com atenção os artigos constitucionais que podem e devem ser evocados quando qualquer cidadão sentir-se aviltado no que diz respeito à liberdade de crença religiosa.

Artigo  5º da Constituição Federal assegura:

* Todos são iguais perante a Lei, sem distinção de qualquer natureza, ser garantido aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

* Portanto, como a Constituição assegura que não deve haver distinção de qualquer natureza, católicos, protestantes, evangélicos, umbandistas, espíritas, budistas, muçulmanos, membros do Candomblé etc. são iguais em direitos e obrigações, estando, pois, submetidos às mesmas leis e devendo observar o inciso VI do artigo 5º da Carta Política de 1988, que diz:

* É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias.

* Ainda na Constituição Federal, o parágrafo 1º do artigo 215 deixa muito claro que o Candomblé, que é também evidente manifestação da cultura popular afro-brasileira, pode contar com a proteção do Estado para existir e resistir:

* O Estado garantirá a todos os plenos exercícios dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e difusão das manifestações culturais.

* Parágrafo 1º. O Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-brasileiras, e dos outros grupos participantes do processo civilizatório Nacional.

* Na legislação infraconstitucional diretamente relacionada ao inciso VI do artigo 5º, o artigo 208 do Código Penal merece menção, haja vista que os crimes que define têm sido cometidos freqüentemente contra adeptos das religiões afro-brasileiras sem que se tomem providências primeiramente por uma nítida falta de interesse das autoridades, e depois porque os adeptos na maioria das vezes não sabem que tais atos constituem crime.

* Artigo 208. Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena - detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.

* Parágrafo único. Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente a violência.

* Como fica a situação quando a policia, respaldada pelo poder do Estado, infringe a lei?  Se considerarmos que a proteção aos locais de culto e a suas liturgias é garantida na forma da lei, é dever da polícia, quando solicitada, prestar assistência aos adeptos para que possam cumprir seus rituais com segurança e não impedi-los, por exemplo, de fazer suas oferendas. Fazer uma oferenda a Exu numa encruzilhada é um direito, assim como é um direito do crente pregar em praça pública ou do católico fazer procissões. A polícia também não pode invadir um terreiro de Candomblé, a menos que observe os trâmites legais.

* Todos têm direito à liberdade religiosa, que não atinge um grau absoluto, pois não são permitidos a nenhuma religião ou cultos atos atentatórios à lei, sob pena de responsabilidade civil e criminal.

* Um adepto de determinada religião, por exemplo, não pode evocar o inciso VI do artigo 5º da Constituição, ou seja, suas convicções religiosas, para livrar-se dos crimes estipulados no artigo 208 do Código Penal. Há que se observar o inciso VIII do artigo 5º da Constituição, que diz:

* Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei.

* O Brasil, por meio do Pacto de São José da Costa Rica, se comprometeu a respeitar o sentimento religioso, avalizando o documento que no artigo 12.1 da Convenção diz:

* Toda pessoa tem direito à liberdade de consciência e de religião. Esse direito implica a liberdade de conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar de religião ou de crenças, bem como a liberdade de professar e divulgar sua religião ou suas crenças, individual ou coletivamente, tanto em público como em privado.

* Devem os templos de Candomblé e seus sacerdotes começarem a reivindicar os privilégios e isenções que a lei assegura aos ministros de confissão religiosa e às suas igrejas, como o direito à prisão especial, a contribuição à Previdência Social na qualidade de sacerdote e a desobrigação de recolher alguns impostos como o IPTU.

* É importante também difundir a Lei nº. 7.716, de 5 de janeiro de 1989, não só entre as pessoas do Candomblé, mas para toda a sociedade, especialmente entre os negros que sofrem muito mais com o preconceito que, mesmo camuflado pelo mito da democracia racial, existe no Brasil. Isso serve para ratificar que o caminho para viver plenamente a cidadania é o da consciência, que passa, necessariamente, pelo reconhecimento das leis que asseguram os direitos de todos os cidadãos, brancos ou negros, crentes ou de Candomblé, ricos ou pobres.

 

Constituição da República Federativa do Brasil.

Código Penal Brasileiro - 1988

 

Que a lei seja cumprida e respeitada, igualmente aos seus cidadãos.

Que os Òrìsàs abençoem o Brasil e seus governantes

 

CAPITULO – VIII

"CONSIDERAÇÕES FINAIS”

ARTIGO

           65º - Não venha à casa de candomblé com as mãos vazias, todos comem, fazem sua higiene e usar as dependências da casa de candomblé. Não é preciso perguntar é só trazer. A casa e o Àsè Kyeowjì ficam gratos.

               Tudo arrecadados são usados em prol dos templos do Àsè Kyeowjì – RJ e MG

 

 

 

            66º. – Este REGIMENTO INTERNO, é uma obra a fim de orientar e organizar todas as Casas de Candomblé pertencentes ao "Àsè Kyeowjì" e pôr ter uma orientação espiritual do seu patrono.

 

67º. – Que este REGIMENTO INTERNO tenha a proteção dos Òrìsàs.

E abençoes o: "Àsè Kyeowjì” – Àsè Maróketù Òrìsà Òsótókànsósó e seus associados, dirigentes, freqüentadores, adeptos e seus Bàbálórísà, Iyàlórísà, Egbònmes, Ògás, Èkèdjìs e Iyàwòs  para que eles cultuem a PAZ, o AMOR, o RESPEITO e a CONFRATENIZAÇÃO junto aos seus semelhantes.

 

 

Que Òsóòsì (Ode) (caçador) nos a bençõe.

Hoje e sempre - Oke aro, Àsé kókè Mawò aròlé

Alafia (amem)

 

 

ALAFIA...

 

      Para tornar-se um bom filho de Santo, e saber respeitar os ensinamentos da casa, e saber obedecerem a regras, direitos e normas que são impostas pelo Regimento Interno elaboradas pelo Bàbálórísà.

      Não invadir o espaço dos seus mais novos e dos mais velhos. Saber dividir tarefas, colaborar e não querer fazer tudo. Não colocar-se ao lado das pessoas de Cargo e Posto e dos outros.

      Saber respeitar o seu mais velhos, e orientar os seus mais novos. E sempre prestar atenção nas orientações  de seu Bábàlórìsà. Assim todos serão respeitados e admirados pôr todos.

     O ambiente agradável gera harmonia, satisfação e perfeição.

     A humildade é o nosso maior triunfo. A educação é o nosso maior privilégio.

 

 

''O BOM VODUNCE É AQUELE QUE RESPEITA,

O CONHECIMENTO ALHEIO.

MESMO QUE SEJA DESCONHECIDO POR VOCE''

 

                                                                              Pai Waldo ty Òsóòsì.